Vantagens e Desvantagens do BIM

casa_construcao-civil

No post passado falei sobre o que era o BIM, que é um tipo de ferramenta em que se encontramos um único modelo cujo todas as informações encontram-se interligadas por relações paramétricas. No post de hoje vou abordar brevemente nas vantagens e desvantagens encontradas diariamente no uso dessa tecnologia.

fig8As vantagens de mais valia que podemos encontrar nesse sistema, são as seguintes:

  • Visualização 3D da estrutura e melhor compreensão visual do projeto;
  • Melhor planejamento do projeto;
  • Modelação por objetos com definição das suas propriedades físicas;
  • Base de dados e informação integrada e coordenada, reduzindo erros ligados à falta de coordenação interdisciplinar;
  • Informação interligada por via de relações paramétricas e, portanto as alterações são processadas em tempo real em todo o modelo;
  • Pesquisa e obtenção eficiente e facilitada de documentos da construção;
  • Capacidade de detecção de conflitos;
  • A estrutura apenas é modelada uma única vez, podendo ser utilizada nas várias especialidades e fases do projeto;
  • Unificação da informação do projeto em apenas um modelo BIM e consequentemente em apenas um arquivo informático;
  • Aumento da produtividade;
  • Facilidade de concepção e percepção das várias fases de construção;
  • Calendarização das fases de construção em 5D (tempo e custo);
  • Facilidade de intervenções futuras ao projeto.

0bec6c4f1f34925f5376c2e8ae6a4278E os aspectos que mais se destacam como barreiras e limitações para a adoção do uso da tecnologia BIM na prática profissional são:

  • Investimento: a necessidade de um investimento inicial com a aquisição de um novo software bem como com a sua amortização, com custos adicionais de aprendizagem inicial;
  • Curva de aprendizagem lenta: além da natural complexidade do software e das múltiplas opções que este representa, talvez seja na alteração de conceitos e no novo modo de olhar para o modelo, que se exige mais investimento pessoal;
  • Envolvimento da equipe: ainda é escassa, no nosso país, a proliferação desta metodologia entre equipes que conseguem o envolvimento de todos os projetistas. Assim, ao se reduzir logo à partida, o âmbito possível de uma das maiores potencialidades do BIM que é a interação colaborativa, a qual permite lidar com alterações e com incompatibilidades entre especialidades de modo imediato, está-se, naturalmente, a contribuir para a redução da sua relevância e do retorno do investimento;
  • Interoperabilidade: caso seja necessária a comunicação entre entidades que usam diferentes plataformas tecnológicas, a exportação/importação entre sistemas ainda não é isenta de falhas;
  • Responsabilização/autoridade: a necessidade de definir explicitamente novos modos de comunicar e partilhar o modelo entre os diversos projetistas e entre estes e o construtor, passará por uma contratualização que, baseada na confiança e delegação, permita a partilha, sem comprometer os direitos do autor e responsabilização de cada interveniente.

 

Fontes:

CABRAL, Alessandra Rodrigues. Estudo de caso de lançamento E CÁLCULO de fundações de concreto armado em bim (building information modeling)

LINO, José Carlos et al, Integração da Metodologia BIM na Engenharia de Estruturas

TARRAFA, Diogo Gonçalo Pinto. Aplicabilidade prática do conceito BIM em projeto de estruturas.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s